APEC -- Sobre Nós | CARTA ABERTA PARA OS QUE DESEJAM SER MISSIONÁRIOS DA APEC
Entre em contato com a APEC mais próxima: clique aqui


O MAIOR PROBLEMA NA ÁREA DO ENSINO DAS CRIANÇAS EM MINHA IGREJA É?


Total de Votos   951
Ver Resultado

Visualizar todas Enquetes

CARTA ABERTA PARA OS QUE DESEJAM SER MISSIONÁRIOS DA APEC


Saudações

no mais precioso

dos nomes – o do

nosso Senhor

e Salvador

Jesus Cristo!

 Se você deseja tornar-se um obreiro da APEC, precisa conhecer os passos necessários para ingressar na missão.  

ILMC – Instituto de Liderança para o Ministério com Crianças

Todos os obreiros da APEC passaram pelo ILMC – Instituto de Liderança para o Ministério com Crianças, o curso superior da APEC.

Para inscrever-se, é necessário preencher e enviar a ficha de inscrição para a direção do ILMC, para que seja devidamente avaliada. Sendo aprovada, o ILMC dará as orientações para devida inscrição. 

O ILMC funciona em Mairiporã-SP. O curso é ministrado em regime de internato, durante doze semanas, sempre no início do ano, nos meses de janeiro a março.

São ministradas matérias teológicas, pedagógicas e práticas, e a convivência diária proporciona atividades inspirativas, troca de experiências e camaradagem. 

Durante o ILMC, há entrevistas com os candidatos ao ministério.

Depois do curso, havendo interesse mútuo, isto é, da APEC e do candidato, o mesmo é examinado por uma Comissão da Diretoria Nacional da APEC para que seja aprovada a sua entrada. 

ACESSE AQUI AS INFORMAÇÕES MAIS DETALHADAS SOBRE O ILMC

O Processo de Entrada

Uma das condições básicas para a entrada no ministério da APEC é que o candidato tenha a aprovação de sua igreja, conforme princípio bíblico encontrado em Atos 13.2,3: “Enquanto cultuavam o Senhor e jejuavam, o Espírito Santo disse: Separai-me Barnabé e Saulo para a obra para a qual os tenho chamado. Então, depois de jejuar, oraram e lhes impuseram as mãos; e deixaram que partissem”.

O candidato é, na verdade, enviado pela igreja, que reconhece o chamado do Senhor e o consagra para servir junto à obra missionária entre as crianças, na APEC.

Cada missionário precisará reunir uma equipe de sustento, formada por irmãos e igrejas que vão segurar as cordas de seu trabalho através de suas orações e também de suas ofertas. Espera-se que a igreja que o recomenda, participe ativamente do seu sustento, pelo menos com uma parte do mesmo.

O trabalho missionário da APEC é um trabalho de fé.Geralmente, o primeiro ano é chamado de período de "residência missionária", em que o candidato atuará junto com outro obreiro, conhecendo o dia-a-dia do trabalho. 

Esta “residência missionária” acontece mais um menos durante o período de um ano, sendo uma boa parte do mesmo em São Paulo e também em outros campos da APEC, conforme orientação que é dada pelo Departamento de Cuidado de Membros, que cuida deste programa.

Quando o obreiro é recebido peara iniciar o seu período de “residência missionária” pode acontecer que o mesmo não tenha ainda toda a base de sustento necessária, mas durante este período ele não fica sem sustento, mas deve ir ampliando a sua equipe de sustentadores para no final, ao ser recebido como obreiro de tempo integral, tenha o sustento completo.

Após esse período, há uma avaliação feita pela APEC e a Diretoria Nacional dará a decisão final quanto ao campo de trabalho. 

Campos que necessitam de missionários

Há planos da APEC de ter obreiros nos estados do Alagoas, Amapá, Paraná, Rio Grande do Norte, Roraima e Tocantins. Além destes estados, há o projeto de abrir o trabalho da APEC em 20 cidades estratégicas. São cidades importantes, mesmo não sendo capitais de estado.

Outro grande desafio é ter missionários especialmente dedicados ao alcance das crianças indígenas, atuando na capacitação dos líderes e pastores indígenas para que estes ganhem a visão e saibam como conduzir as crianças indígenas à salvação em Cristo. 

Há também necessidade de obreiros para ampliar a equipe nos campos onde o ministério já existe. Especialmente nas grandes cidades do Brasil, que são verdadeiras megalópoles. 

São Paulo, por exemplo, é a cidade com as maiores populações de origens étnicas italiana, portuguesa, japonesa, espanhola e libanesa fora de seus países respectivos, além de ter o maior contingente de nordestinos fora do Nordeste.

Muitos imigrantes e migrantes chegaram há quase um século, e estão perfeitamente integrados ao modo de vida brasileiro e paulistano. Mais recentemente, a vinda de imigrantes da Bolívia tem sido grande. Há igrejas que realizam cultos em outros idiomas. Algumas igrejas procuram alcançar essas comunidades, buscando atender também suas necessidades específicas. Entretanto, poucos têm preparo para lidar com as crianças. Como conseguir obreiros para trabalhar com crianças que são filhos de imigrantes? Filhos de povos latinos, filhos de povos árabes, filhos de povos asiáticos. É uma grande oportunidade de fazer trabalho transcultural sem ter que sair do país. Louvamos a Deus porque há dois casais na APEC trabalhando com crianças coreanas, em São Paulo. 

Como conseguir obreiros para trabalhar com crianças especiais? Quão poucas crianças com deficiência estão em nossas igrejas! Onde estão as crianças com deficiência visual, auditiva, mental, físíca? Elas precisam aprender sobre Jesus. Quem irá a elas? 

Campos no exterior

A APEC divide o mundo em 8 (oito) regiões, cada uma delas debaixo de um Diretor Regional que está ligado à APEC Internacional. As regiões são as seguintes:

1 – África Central e Oriental
2 - ÁFrica Ocidental
3 – África Austral
4 – América (de fala inglesa e francesa)
5 – América Latina (de fala espanhola e portuguesa)
6 – Ásia e Região do Pacífico
7 – Europa
8 – Oriente Médio

É feita uma distinção entre os países conforme seus níveis de atuação: Países Abertos, Países Desenvolvidos e Países Autônomos.

1. País Aberto, quando as seguintes condições forem atendidas:
• Há pessoas treinadas pela APEC servindo no país, quer como missionários de tempo integral ou como voluntários comprometidos.
• Há um ministério da APEC de evangelização de crianças.
• Há um Conselho Nacional estabelecido, ou ao menos um grupo de oração interdenominacional, de pessoas comprometidas, que em breve formarão o Conselho Nacional, quando constituído.

2. País Desenvolvido, quando as seguintes condições forem atendidas:
• Há um importante programa de extensão e treinamento estabelecido conforme determinado pelo Diretor Regional.
• Há um programa de oração organizado e sustentado no país.
• Há evidências de um foco externo em ajudar crianças de outros países a também ouvir o Evangelho. Isso pode ser mostrado com apoio financeiro, ajuda prática ou treinamento, fornecimento de literatura ou no envio de missionários ou equipes.
Na APEC o nosso deseja é estar em Toda Nação, alcançando as crianças com o Evangelho, em obediência ao chamado de Cristo para fazer discípulos de todas as nações. Entretanto, nossa oração é que o ministério progrida e que cada país seja reconhecido pelo Conselho Administrativo Internacional como sendo um Trabalho Desenvolvido, como descrito acima.

3. País Autônomo. Historicamente, há um período quando a APEC identifica o desenvolvimento de trabalhos nacionais, garantindo o status conhecido como Autônomo.
Há três requerimentos básicos para alcançar o nível de autonomia:
1. Que o trabalho nacional esteja bem estruturado e organizado ao ponto de ser autogovernado.
2. Que o trabalho seja forte, em desenvolvimento constante e possa ser descrito como autopropagado.
3. Que o trabalho seja financiado grandemente de dentro, sendo autossustentável.

Há vários países autônomos e muitos deles (entre eles o Brasil) gozam da responsabilidade adicional de:
1. Designar seus próprios diretores nacionais.
2. Aprovar seus próprios orçamentos financeiros.
3. Aprovar o seu próprio capital e projetos ministeriais.

Entretanto, numa associação internacional, há grande cooperação com os trabalhos regionais e mundiais. Na APEC, desfrutamos da bênção da unidade sem uniformidade

No Brasil, a Diretoria Nacional tem como princípio, só recomendar para o ministério no exterior um obreiro cujo trabalho tenha sido aprovado primeiro no próprio Brasil, e tenha todo o sustento necessário. 

É também usual na APEC, que cada obreiro trabalhe em seu próprio local. Há uma preferência muito grande em capacitar sempre obreiros do próprio país.

O que você pode fazer?

Talvez você possa, diante do Senhor, perguntar: “Senhor, que queres que eu faça?

Ou então, de maneira consciente e dedicada, dizer ao Senhor: “Eis me aqui, envia-me a mim!”

Você se lembra do que Jesus disse aos seus discípulos? “Na verdade, a colheita é grande, mas os trabalhadores são poucos; rogai ao Senhor da colheita que mande trabalhadores para a sua colheita” (Mateus 9.37,38).

Você pode rogar ao Senhor, mas pode também ser um dos trabalhadores na colheita do Senhor. 


Espero que estas informações lhe sejam úteis e que o Senhor, quem sabe, incline o seu coração para se tornar um futuro obreiro da APEC. 

A APEC está no Brasil, desde 1941, evangelizando e discipulando crianças, capacitando pais, professores e líderes para o ministério infanto-juvenil, produzindo literatura como ferramenta para o trabalho e passando a visão da urgência de se ganhar as crianças para Cristo enquanto ainda são crianças. 

Há uma história a ser escrita nos próximos anos. Venha escrevê-la também. Venha ser você mesmo a resposta à oração: “Senhor, manda obreiros para a seara entre as crianças!” 

Se você deseja maiores informações ou se deseja fazer parte desta missão, escreva-me. Estou à inteira disposição.  

No amor de Cristo e pela salvação das crianças,


Pr. Gilberto Celeti

superintendencia.apec@apec.com.br

Proclamar a Pessoa extraordinária de Jesus Cristo a todas as crianças,em todos os contextos e culturas, é a prioridade máxima!